Pantanal: A Boa Inocência de Nossas Origens

    Eduardo NunesIzabella Faya
    Pantanal: A Boa Inocência de Nossas OrigensPantanal: A Boa Inocência de Nossas Origens
    (2021)

    Sinopse

    O dia a dia de moradores da maior planície alagada do mundo, no coração da América do Sul, um dos locais mais desafiadores para o ser humano. Partindo do olhar dos personagens, vamos entender melhor o frágil equilíbrio entre homem e natureza num lugar onde é impossível não entender que somos parte de algo muito maior, no qual o movimento das secas e das enchentes determina a forma de viver.

    Ficha técnica

    Por que assistir a este filme?

    Muito se fala sobre a natureza, a flora e os animais do Pantanal. Mas e as pessoas? E os pantaneiros? Esse povo, sempre com muitas histórias e um estilo de vida diferenciado, é o coração do bom documentário ‘Pantanal: A Boa Inocência de Nossas Origens’. Dirigido pela estreante Izabella Faya e por Eduardo Nunes (do excelente ‘Unicórnio’), o longa-metragem mostra detalhes da vida dos pantaneiros, mostrando a subsistência dessa gente, suas mitologias, suas crenças, suas famílias e suas histórias. É um filme sensível e delicado, que ajuda o espectador a ir além do que sempre é falado sobre o Pantanal. O filme, sem dúvidas, poderia ir além em algumas reflexões, como fez ‘Amazônia Groove’ e ‘Ser Tão Velho Cerrado’. No entanto, com sua sensibilidade, ‘Pantanal’ vai longe. E consegue emocionar.

    Matheus Mans

    Matheus Mans

    Editor do Filmelier

    Onde assistir?

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade

    Indisponível nos cinemas

    Em breve em casa

    Publicidade