Mate ou Morra

Joe Carnahan
Mate ou MorraMate ou Morra
(2021)

Por que assistir a este filme?

A história por trás de ‘Mate ou Morra’ é curiosa. Começou lá pelos anos 2010, quando os irmãos Chris e Eddie Borey apresentaram o projeto do filme para o cineasta Joe Carnahan. A conexão foi instantânea. Apertaram as mãos e saíram por aí em busca de um estúdio para realizar o projeto. Calhou de ser a 20th Century Fox, em 2012. De lá pra cá, porém, as coisas demoraram a engrenar: a Fox saiu em busca de um novo dono (que viria a ser a Disney, anos depois) e abandonou o projeto, que acabou sendo financiado de forma independente em 2017. Em 2018, filmaram tudo. E só três anos depois disso, quase como um herói ferido em batalha, que ‘Mate ou Morra’ chegou ao Brasil. E não é pra menos. Afinal, a boa história do longa-metragem acompanha um homem (Frank Grillo) que revive o dia de sua morte várias e várias vezes. Mas nada de Dia da Marmota, como em ‘Feitiço do Tempo’. Por aqui, apesar da premissa ser similar, temos helicópteros explodindo, ação rolando solta e bombas pra lá e pra cá, com o adicional do diretor Joe Carnahan simplesmente não se levar a sério, garantindo boas cenas de Grillo e Mel Gibson. Não é um filme original ou marcante, mas sem dúvidas serve como um passatempo divertido.

Matheus Mans

Matheus Mans

Editor do Filmelier

Onde assistir?

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Em cartaz nos cinemas

Ingresso.com

Em breve em casa

Publicidade