Medida Provisória

Lázaro Ramos
Medida Provisória
(2021)

Sinopse

Num futuro distópico, o governo brasileiro decreta uma medida provisória que obriga os cidadãos negros a ‘voltarem’ à África como forma de reparar os tempos de escravidão. O advogado Antônio , sua companheira, a médica Capitú, e seu primo, o jornalista André decidem resistir, uns confinados em suas casas, outros no Afrobunker – movimento que vai lutar pelo direito de permanecerem em seu país.

Ficha técnica

Por que assistir a este filme?

Lá no finalzinho de ‘Medida Provisória’, filme de estreia de Lázaro Ramos como diretor, surge na tela a excelente música ‘O Que se Cala’, de Elza Soares. É uma imersão. Explosão. Afinal, enquanto Elza canta, a tela mostra o povo preto brasileiro em uma espécie de revolta social e as pessoas tomam seu lugar de fala. É um senso de urgência na narrativa. Há efervescência. ‘Medida Provisória’, afinal, se passa num Brasil distópico que não está tão no futuro assim. Na história, após uma série de medidas polêmicas, o governo brasileiro decide banir os negros do País. Bradam que é melhor que eles voltem para suas terras originárias, numa mistura da xenofobia e do racismo estrutural de cada dia. A partir daí, acompanhamos os efeitos dessa decisão. A direção de Ramos, que adapta muito bem a peça que originou o longa-metragem, é o primeiro acerto. Ainda que falte certa sutileza, ele vai fundo e mergulha nas dores de ser negro no Brasil. Revela preconceitos em falas e gestos, provoca e instiga. Fala de um Brasil que não existe agora, mas que está se provocando, instigando. Para muitos, pode haver exageros na colocação de algumas situações, quando a fantasia da distopia toma conta. Mas fica a questão: será que há mesmo? Tudo bem, é impossível que haja um movimento legislativo como no filme. Mas os povos pretos e até mesmo originários do Brasil não vivem exilados em suas próprias terras, em seu País? Tudo ganha contornos ainda mais potentes com as atuações de Taís Araújo, que entrega uma personagem forte, e Alfie Enoch, da saga ‘Harry Potter’, que impressiona ao interpretar um brasileiro sem qualquer embaraço e que atinge a potência necessária.

Matheus Mans

Matheus Mans

Editor do Filmelier

Onde assistir?

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Em breve nos cinemas e em casa

Publicidade