critica-gato-de-botas-2-o-ultimo-pedido

‘Gato de Botas 2: O Último Pedido’ é o melhor da franquia desde ‘Shrek 2’

Universo de ‘Shrek’, clássico moderno do cinema de animação, ganha uma nova chance com ‘Gato de Botas 2’

Lalo Ortega   |  
26 de dezembro de 2022 10:00

O cinema dos anos 2000 e muito do que veio depois – animação ou não – não pode ser entendido sem ‘Shrek‘, hoje considerado um clássico apenas superado por seu sucessor. E como tantas outras franquias de mídia, a DreamWorks Animation estendeu-se mais do que o necessário: a terceira e a quarta parcelas são medíocres na melhor das hipóteses. A última vez que a vimos foi um spin-off do Gato de Botas de 2011… e depois nada. Isso até agora, com estreia nos cinemas ‘Gato de Botas 2: O Último Pedido’, que chega aos cinemas daqui em 5 de janeiro de 2022.

Tiveram que passar 11 anos para voltar a esse mundo fundado em paródias de contos de fadas, brincadeira que a franquia esgotou além do necessário. Felizmente, porém, esta nova parcela não parece uma tentativa barata de tantos outros avivamentos de retornar à relevância e ganhar algum dinheiro.

Na verdade, ‘Gato de Botas 2: O Último Pedido’ é facilmente o melhor que a DreamWorks criou desde que ‘Shrek 2‘ foi lançado em 2004.

‘Gato de Botas 2’ e seu olhar para a morte

Publicidade

A história, ambientada em um tempo obscuro após ‘Shrek para Sempre’ e o primeiro ‘Gato de Botas’, segue o personagem titular (novamente dublado por Antonio Banderas) em suas perigosas aventuras. Gozando de status lendário, Gato não teme nada, nem mesmo quando acidentalmente perde uma de suas nove vidas. O médico diz a ele que só lhe resta uma vida, mas nosso herói não se importa.

Nosso herói não tem medo de nada… até que sua última vida esteja em perigo (Crédito: Universal Pictures)

Isso até que ele perde uma luta com um lobo mercenário sanguinário (dublado por Wagner Moura) que quer sua cabeça. Temendo por sua última vida, Gato decide se aposentar e passar seus dias em paz. Mas quando ele descobre que uma estrela pode conceder-lhe um desejo, ele embarca em uma nova aventura para restaurar suas nove vidas.

‘Gato de Botas 2: O Último Pedido’ é uma fábula simples e colorida para crianças, mas com algo para adultos.

O enredo de ‘Gato de Botas 2: O Último Pedido’ é direto, na superfície. A estrela cadente é o pretexto para lançar o protagonista em uma aventura com um Cachorrinho (Harvey Guillén) e sua antiga rival/namorada, Kitty Patitas Suaves (Salma Hayek).

Investigando ainda mais o cânone dos contos de fadas, os roteiristas Paul Fisher (‘Os Croods 2: Uma Nova Era‘) e Tommy Swerdlow (‘O Grinch‘) apresentam novos vilões: por um lado, o ganancioso Jack Horner (John Mulaney), que quer possuir todos os poderes mágicos artefatos do mundo. Do outro, uma Cachinhos Dourados (Florence Pugh) virou uma mercenária durona ao lado de sua família de Ursos (vozes de Olivia Colman, Ray Winstone e Samson Kayo), que não vai parar por nada para conquistar a estrela.

Gato de Botas 2: O Último Pedido’ dá uma reviravolta curiosa em Cachinhos Dourados (Crédito: Universal Pictures)

Em outras palavras, ‘Gato de Botas 2: O Último Pedido’ é um road movie em que três facções competem para chegar à linha de chegada, enfrentando desafios e transformações (ou não) ao longo do caminho. Isso, por si só, é suficiente para uma aventura divertida e perfeitamente adequada para toda a família. Mas há mais.

Um livro de histórias na tela do cinema

O primeiro é a direção de arte espetacular, que foi descrita como o equivalente do livro de histórias ao que ‘Homem-Aranha no Aranhaverso’ fez com a arte dos quadrinhos.

Assim como em ‘Os Caras Malvados‘ (também lançado este ano), o que a DreamWorks traz aqui é outra maravilha que mistura diferentes estilos de animação, texturas e até taxas de quadros, resultando em uma bomba de cores dinâmica que, na verdade, parece um livro de histórias animado.

É o suficiente para encher os olhos de qualquer criança, mas para o retorno da franquia ‘Shrek’ – ou pelo menos seu spin-off – é bom que o estúdio tenha escolhido fazer algo diferente, ao invés de apenas replicar a direção de arte de seus antecessores.

🎞  Quer saber as estreias do streaming e dos cinemas? Clique aqui e confira os novos filmes para assistir!

Mas além disso, ‘Gato de Botas 2: O Último Pedido’ é um estudo de personagem que vai para lugares inesperadamente sombrios. Além das piadas típicas sobre a natureza felina e espanhola de seu protagonista, comuns em seu antecessor – embora também existam aqui –, esta sequência confronta o Gato com sua mortalidade.

Nada denso ou digno de Bergman aqui, mas com base nisso, o roteiro faz o protagonista refletir sobre o propósito de sua vida, ponderando o que quer e o que tem. Mesmo que alguns desvios de roteiro em relação a Cachinhos Dourados e Jack Horner possam parecer desnecessários, eles acabam contribuindo para o tema central do filme.

Um pouco moralista? Sim. Mas tudo é contado de forma espetacular, com bastante equilíbrio entre enredo sólido e puro espetáculo visual. Se é assim que vai ser, não nos importaríamos em voltar a este mundo para o (ainda hipotético) ‘Shrek 5’.

‘Gato de Botas 2: O Último Pedido’ estreia no Brasil na primeira semana de 2023. Confira mais detalhes sobre o filme clicando aqui.

Siga o Filmelier no FacebookTwitterInstagram e TikTok.