29B53790-3FAD-4913-B707-1BE8062362AC

Morre Anna Karina, uma das musas de Jean-Luc Godard e da Nouvelle Vague

Atriz tinha 79 anos e sofria com um câncer

15 de dezembro de 2019 12:03

O cinema francês ficou um pouco mais cinza neste fim de semana. Anna Karina, de filmes como ‘O Demônio das Onze Horas’ e ‘Uma Mulher É uma Mulher’, morreu neste sábado (14), aos 79 anos. A atriz lutava contra um câncer. A informação foi confirmada pela agência AFP.

De origem norueguesa, Anna foi para a França ainda menor de idade, em busca do sonho de ser atriz. Começou pela carreira de modelo, mudando o nome de batismo (que era Hanne Karin Bayer) para Anna Karina a pedido de Coco Chanel. Em seguida, foi descoberta por Jean-Luc Godard, com quem faria sete filmes se casaria. A atriz acabaria não só sendo a musa do cineasta, como também o rosto da Nouvelle Vague – “Nova Onda”, em português, o movimento que revolucionou o cinema francês e mundial a partir dos anos 1960.

O estilo de Anna Karina e, até hoje, visto como a representação máxima da cultura daquela década. 

A relação entre a atriz e o diretor era complicada, chegando ao fim em 1965 – Jean-Luc então se casaria com Anne Wiazemsky, uma relação retratada no filme ‘O Formidável’.

Publicidade

Anna Karina seguiu a carreira de atriz após o fim da relação com Godard, mas a participação em obras de outros cineastas do movimento, amigos do ex-marido, ficou bem mais rara. Ela acabou se lançando como cantora e estrelou o musical ‘Anna’, de Pierre Koralnik.

A norueguesa se casaria mais três vezes, a última com o diretor norte-americano Dennis Berry. 

Entre os principais prêmios da carreira de Anna Karina está um Urso de Prata de Melhor Atriz no Festival de Berlim, por ‘Uma Mulher É uma Mulher’.