no-time-to-die-daniel-craig-lea-seydoux-interrogation

Warner Bros. passa a distribuir os filmes da Universal Pictures no Brasil

Além de distribuir, a Warner Bros. Pictures Brasil se torna a licenciadora das produções da Universal em outras mídias

12 de janeiro de 2021 às 12:10
Raíssa Basílio  &  Renan Martins Frade

Na última segunda-feira, 11, foi aprovado que a Warner Bros. passará a distribuir os filmes da Universal Pictures em território brasileiro. O ANMTV divulgou o documento do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) que aprova a parceira entre as duas empresas, centralizando 22,2% do mercado cinematográfico nacional de acordo com o próprio orgão.

Dessa forma, a Warner Bros. Pictures Brasil se torna a licenciadora também das produções da Universal.

Com a medida, a operação nacional dos Irmãos Warner passa a ser responsável no Brasil pelos longas do estúdio da NBCUniversal não só nos cinemas, mas também em outras mídias. No entanto, o documento do Cade detalha que a medida não impacta nas decisões de aquisição de filmes, nem na definição de estratégias de marketing e orçamento – ainda que seja a Warner Bros. a executar essas estratégias -, que continuarão separadas.

James Bond, uma das apostas da nova união entre Warner Bros. e Universal Pictures
Daniel Craig em ‘007: Sem Tempo Para Morrer’, que é um dos grandes filmes da Universal para 2021 (Foto: divulgação / Universal Pictures)

Não é a primeira vez que esse tipo de ação acontece no Brasil. Em 2012, por exemplo, Fox e Sony criaram uma joint-venture para trabalhar no chamado mercado de home entertainment, então ainda dominado por DVDs e Blu-rays. O acordo acabou em 2019.

Ainda em 2012, a própria Warner e a Fox criaram uma outra joint, responsável pela distribuição nos cinemas. A operação foi encerrada também em 2019. Além disso, a Universal teve um acordo parecido com a Sony entre 2013 e 2016 e, anteriormente, com a Paramount.

Porém, a união entre Warner Bros. e Universal Pictures chega em um momento complicado para o mercado brasileiro, que viu uma queda de cerca de 70% no faturamento em dólares no último ano – em grande parte culpa da pandemia da covid-19, mas também por conta da desvalorização do real frente à moeda americana.

Para 2021, a Universal Pictures prevê o lançamento do novo filme de James Bon, ‘007: Sem Tempo Para Morrer’, ‘Velozes & Furiosos 9’ e ‘Halloween Kills: O Terror Continua’

Já a WarnerMedia começou recentemente uma reestruturação para focar seus esforços no novo serviço de streaming da empresa, o HBO Max. Como parte disso, o estúdio decidiu fazer lançamentos simultâneos de todos seus filmes na nova plataforma. A medida acabou por desagradar diretores, como no caso de Christopher Nolan, que sofreu com o efeito da pandemia ao lançar ‘Tenet’ nos cinemas no ano passado.

‘Tenet’, da Warner Bros., não surtiu o efeito esperado ao ser lançando nos cinemas em meio a pandemia (Foto: Reprodução/Warner Bros.)

O primeiro longa a seguir a estratégia foi ‘Mulher-Maravilha 1984’ – nos cinemas e, nos EUA, no HBO Max. A produção liderou as bilheterias nos Estados Unidos e também foi uma das mais vistas no streaming em 2020. Na semana passada, o filme já tinha arrecadado US$ 5,5 milhões em vendas de ingressos em seu segundo fim de semana em cartaz. No total, o longa arrecadou US$ 28,5 milhões nos Estados Unidos, onde apenas 39% das salas estão abertas.

Siga o Filmelier no FacebookTwitterInstagram e TikTok.