Dora e Gabriel

    Ugo Giorgetti
    Drama2021

    83 min

    Dora e GabrielDora e Gabriel
    (2021)

    Trailer

    Sinopse

    Em Dora e Gabriel, um imigrante libanês que vive há muitos anos em São Paulo é assaltado e preso no porta-malas de seu próprio carro. Além disso, uma mulher que foi testemunha do furto também é colocada ali. Os dois completos estranhos são obrigados a dividir este ambiente pequeno sem saber para onde os ladrões estão indo.

    Ficha técnica

    Título original

    Gênero

    Classificação indicativa

    Duração

    Ano de Lançamento

    Ano de Produção

    País

    Diretores

    Por que assistir a este filme?

    O começo de ‘Dora e Gabriel’, longa-metragem comandado por Ugo Giorgetti (de ‘Uma Noite em Sampa’), é excelente. Mostra um homem (Ary França) sendo colocado em um porta-malas. Um sequestro. Uma mulher (Natalia Gonsales) que está passando por ali é pega como refém também. Dora e Gabriel, presos em um porta-malas. O filme, que se passa quase que exclusivamente no ambiente do tal porta-malas, é inventivo. Giorgetti segura toda a história a partir da interação desses dois. Logo de cara, sabemos pouco sobre eles. Ela tem asma nervosa, é falante, preocupada. Ele está mais tranquilo, é libanês, tenta acalmar essa mulher que parece ter entrado de supetão dentro desse seu universo crítico. Logo de cara, a interação dos dois funciona bem. É excelente ver França (‘Durval Discos’) em cena, colocando verdade nesse personagem libanês. Do outro lado, Gonsales até que funciona bem nesse exagero desesperador de sua personagem, mas não dá para negar que há certa falta de naturalidade em muitos momentos. Infelizmente, faltou direção na criação de Dora. O que não impede da metáfora geral do longa-metragem chegar no final, quando percebemos como nossa realidade pode ser enxergada nesse porta-malas.

    Matheus Mans

    Matheus Mans

    Editor do Filmelier

    Onde assistir?

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade

    Fora de cartaz nos cinemas

    Publicidade