quatro-amigas

“A comédia tem um lugar cativo com os brasileiros”, diz Caio Gullane

Produtor fala sobre a comédia ‘Quatro Amigas numa Fria’, os desafios do cinema e o atual momento de distribuição no Brasil

Matheus Mans   |  
21 de junho de 2022 10:07
- Atualizado em 22 de junho de 2022 16:13

Ao pensar em grandes produtores brasileiros, difícil não lembrar dos Gullane. Caio e Fabiano, responsáveis pela produtora que carrega o sobrenome da família, começaram com curtas nos anos 1990. Depois, no início dos anos 2000, estiveram por trás de produções do nível de ‘Bicho de Sete Cabeças‘ e ‘Narradores de Javé’. Entraram de vez no mapa do cinema nacional. Por isso, é com interesse que se observa a comédia ‘Quatro Amigas numa Fria‘.

Lançamento de maio nos cinemas, o longa-metragem é uma comédia que conta a história de quatro amigas (Priscila Assum, Maria Flor, Fernanda Paes Leme e Micheli Machado) que decidem deixar problemas para trás e partir para uma viagem só delas. É um filme pra cima e que se torna interessante pelo momento em que chega às salas, com produções nacionais ainda sentindo o mercado, e após quatro anos da Gullane não entrar no mercado de comédia.

Fernanda Paes Leme e Maria Flor estão no elenco de ‘Quatro Amigas numa Fria’ (Crédito: Divulgação/Gullane)

🎞  Quer saber as estreias do streaming e dos cinemas? Clique aqui e confira os novos filmes para assistir!

Ao Filmelier, Caio Gullane falou sobre ‘Quatro Amigas em uma Fria’. Mas não só. O produtor também comentou sobre sua visão do atual momento do cinema brasileiro, os desafios do pós-pandemia, novas mídias e expectativas com resultados, de acordo com o cenário global de bilheteria. Abaixo, confira o bate-papo completo com o produtor.

Filmelier: Poderia me contar um pouco dos bastidores de ‘Quatro Amigas numa Fria’? Como foi o desafio de gravação na neve e em outro país? 

Publicidade

Caio Gullane: Os bastidores do ‘Quatro Amigas numa Fria’ não poderiam ter sido melhores! Foi um filme muito quente, embora estivéssemos falando de um tema supergelado! Tínhamos uma equipe muito animada e o elenco também, as meninas ficaram muito próximas e criaram entre elas uma amizade cheia de humor, que gerou essa intimidade que a gente realmente vê no filme. 

O maior desafio de filmar na neve foi trabalhar com a temperatura muito baixa. A gente acabou comprando alguns tipos de roupas e equipamentos extras, mas que no fim conseguimos conciliar bem, mas por esse motivo e por conta um pouco também dos custos altos de se filmar em outro país, nós reproduzimos no Rio de Janeiro uma parte das locações da Argentina. Filmamos todas as cenas externas em Bariloche e as locações internas aqui no Brasil. 

Outro desafio era atuar em uma cidade pequena e voltada ao turismo que é Bariloche. Isso foi muito legal porque conseguimos fazer isso com as parcerias e apoios que tivemos, tanto da prefeitura, quanto dos pontos turísticos da cidade que abraçaram o filme e ajudaram na produção. 

Filmelier: O filme chega em um momento em que, cada vez mais, as pessoas estão buscando algo leve e descontraído para assistir. Como vê a chegada de ‘Quatro Amigas numa Fria’ neste momento, nos cinemas?

Caio: O filme buscava tratar de um assunto leve, divertido, mas que por outro lado tivesse alguma reflexão, algum tipo de recado. Vemos essas super quatro mulheres, mostrando o valor da amizade e de viver tomando as próprias decisões. Acredito que justamente nesse momento pós pandemia, o ‘Quatro Amigas Numa Fria’ é um filme bom e gostoso de se assistir, principalmente entre amigos nos cinemas.

Caio Gullane comanda a produtora com Fabiano (Crédito: Divulgação/Gullane)

Filmelier: Como vê o atual momento dos cinemas e, também, o espaço das comédias nacionais nas salas de exibição?

Caio: A gente entende que os cinemas ainda estão se adaptando ao retorno. Muitas distribuidoras com grandes filmes para serem lançados e juntamos isso ao fato do público não ter retornado 100% aos cinemas ainda. Então, em partes, foi uma estratégia ousada de lançar o filme junto a esses grandes lançamentos internacionais, o que pode diminuir o número de telas em que o filme vai ser exibido. Mas, por outro lado, é um filme que tínhamos feito há mais ou menos três anos e que já estava pronto, por isso decidimos lançá-lo. 

Sempre vamos competir com esses grandes lançamentos, mas realmente acreditamos que a comédia tem um lugar cativo com os brasileiros. Já foi provado isso em vários outros projetos, inclusive conosco, como, por exemplo, com a franquia do ‘Até Que a Sorte Nos Separe’. 

Filmelier: Vê com bons olhos o caminho das comédias nacionais em outras mídias?

Caio: Com certeza. As comédias estarão dentro das outras mídias. Da mesma forma que as pessoas vão ao cinema buscando a comédia, elas também querem ver isso em casa: conteúdos mais leves e divertidos. As comédias têm essa característica, de ser um desejo da audiência em qualquer mídia. Então, a ideia é que a gente esteja aberto para produzir comédia para todas essas frentes e que os filmes lançados em cinema também sigam carreira fazendo sucesso em outras janelas. 

Filmelier: Por fim, como analisa a trajetória de Quatro Amigas até o momento? O que mais espera?

Caio: Claro que a gente sempre trabalha visando os melhores resultados, e colocamos todo o amor e carinho na campanha de lançamento desse filme, com um elenco super engajado e querido e com o apoio dos exibidores. Mas também tínhamos expectativas realistas com base na análise de todo o cenário atual. Para nós os resultados do cinema são muito importantes, mas também acreditamos que os filmes têm uma cauda longa e podem surpreender também em outras janelas.

Siga o Filmelier no FacebookTwitterInstagram e TikTok.