anna-karina

Festival Internacional de Cinema de Brasília inicia edição online

O 7º Festival Internacional de Cinema de Brasília (BIFF) conta com 26 produções nacionais e internacionais, em cinco diferentes mostras

Matheus Mans   |  
22 de abril de 2020 15:31
- Atualizado em 17 de junho de 2020 12:21

Apesar da onda de cancelamentos de eventos, o 7º Festival Internacional de Cinema de Brasília (BIFF) abraçou o online sem pensar duas vezes. Desde a última terça-feira (21) até domingo (26), a mostra acontece digitalmente e de graça. Assim, para ver as produções selecionadas, basta dar play no site.

Com isso, mesmo com o coronavírus e o isolamento social no País, o evento consegue celebrar os 60 anos da capital do Brasil e manter a programação.

São 26 filmes divididos em cinco categorias. São elas: competitiva, cineastas de Brasília, pré-estreias, tributo ao ator Kirk Douglas e BIFF Júnior. Esta última, novidade no festival, conta com uma programação especialmente criada para o público teen e infantil, com animações e dramas adolescentes.

‘Fendas’, de Carlos Segundo, faz parte do festival (Crédito: Divulgação/BIFF)

Enquanto isso, na competitiva, oito longas, de diferentes países, concorrem aos prêmios de melhor filme pelo Júri Oficial (R$ 10 mil) e Júri Popular (R$ 10 mil). Além, claro, do já tradicional Prêmio da Crítica José Carlos Avellar.

Publicidade

Por fim, vale lembrar que a maioria dos filmes já está disponível. Mas o BIFF recomenda que sigam a programação. Afinal, desta maneira, fica mais fácil se organizar e não perder alguns com exibição restrita, como o ‘Liberté’ e o documentário de abertura ‘Anna Karina, para você lembrar’.

O que assistir?

Dentre os 26 filmes apresentados pelo festival, há uma ampla variedade de opções. Para quem gosta de histórias sobre cinema, o documentário de abertura ‘Anna Karina, para você lembrar’ é um presente. Mostra, com bons detalhes, a vida e trajetória de uma das principais musas da nouvelle vague.

Além disso, para quem gosta de grandes produções, vale destacar ‘Corpus Christi’, de Jan Komasa, indicado ao Oscar de melhor filme internacional em 2020; e ‘Liberté’, recente produção do espanhol Albert Serra, vencedor do Prêmio Especial do Júri na mostra Un Certain Regard, em Cannes.

Por fim, há cinema nacional de destaque. ‘Encantado, o Brasil em Desencanto, de Filipe Galvon, conta com depoimentos de Jean Wyllys e Leandro Karnal para falar da recente história brasileira. E ‘Cano Serrado’ leva o clima de faroeste para uma história no Serrado brasileiro.