amazing-grace

Conheça a história por trás de ‘Amazing Grace’, o filme perdido de Aretha Franklin

Longa, que mostra os bastidores do álbum homônimo de Aretha Franklin, enfrentou problemas de edição nas mãos do diretor Sidney Pollack

Matheus Mans   |  
9 de abril de 2020 11:27
- Atualizado em 17 de junho de 2020 12:07

Lendário filme “perdido” de Aretha Franklin, ‘Amazing Grace: Aretha Franklin‘ finalmente está vendo a luz do dia. Gravado há 50 anos, o documentário chegou nesta quinta (8) nas plataformas iTunes/Apple TV, NOW, Google Play, Vivo Play e SKY Play. Mas o caminho para a estreia não poderia ter sido mais tortuoso.

Afinal, ‘Amazing Grace’ foi gravado há 50 anos pelo cineasta Sidney Pollack, conhecido pelos clássicos ‘Tootsie‘ e ‘Entre Dois Amores‘. A ideia era aparentemente simples: registrar os bastidores do disco homônimo, que viria a se tornar o maior campeão de vendas da história da música gospel.

Primeiramente, no dia da gravação, tudo andava bem. A equipe de filmagem era grande e Pollack estava encantado com Aretha e feliz com o projeto. Afinal, era uma aposta pesada da matriz da Warner Bros., que buscava novos sucessos após o filme ‘Woodstock’ , de Michael Wadleigh.

Publicidade

Além disso, o público na Igreja New Missionary, no bairro pobre de Watts, em Los Angeles, estava animado. Queriam ver a performance da Rainha do Soul e, sobretudo, permaneceriam gravados na história de Aretha Franklin.

Filme-concerto ficou ‘perdido’ por 47 anos (Crédito: Divulgação/Synapse)

Falta de sincronia

Mas, como é sabido, o resultado não foi feliz. Apesar do sucesso da apresentação, Pollack cometeu um erro: não fez captação direta do som, nem usou claquetes ou marcações nas imagens para ajudar na sincronia do som. ‘Amazing Grace’, naquela época, se tornou impossível de ser editado.

Desesperado, o diretor chegou a contratar profissionais de leitura labial para ajudar na sincronização e não perder o material. Não obteve sucesso.

Com isso, o filme caiu no esquecimento, abandonado na gaveta de algum executivo. Enquanto isso, o álbum ‘Amazing Grace’ se tornou um dos mais vendido da carreira de Franklin e o gospel mais popular de todos os tempos.

Redescoberta de ‘Amazing Grace’

Se passaram mais de quarenta anos até que Alan Elliott, ex-produtor da Atlantic, braço da Warner, redescobrisse o material. Ficou encantado. Assim, junto com especialistas em edição e novas tecnologias, conseguiu fazer o impossível: juntou a imagem de Aretha com sua voz inconfundível.

Agora, 47 anos depois, o filme finalmente chega ao público com o som sincronizado e uma Aretha Franklin emocionante. Pollack e a cantora, infelizmente, não estão vivos para ver o material pronto e editado. Mas é impossível não sentir um pouco dos dois em cada cena de ‘Amazing Grace’.