Netflix

Netflix testa cobrança adicional para quem compartilha senhas

Também será possível transferir perfis para novas contas, o que é bem útil para casais que se separam

16 de março de 2022 17:03
- Atualizado em 17 de março de 2022 12:11

Você é daqueles que “empresta” a sua assinatura da Netflix para amigos e parentes que não moram com você? Ou ainda utiliza a senha do namorado, namorada e afins? Pois trago notícias nada animadoras: a gigante do streaming vai testar, aqui na América Latina, uma cobrança adicional para quem compartilha senhas da plataforma.

Desde sempre, os termos de usuário da Netflix não permitem que a senha do assinante seja compartilhada com pessoas que moram em outra casa. Por anos, a empresa fez vistas grossas à esse tipo de uso – mas, com a adoção do streaming desacelerando e a necessidade de aumentar as receitas, a empresa norte-americana começou a fazer alguns testes para combater isso. No ano passado, por exemplo, uma verificação em duas etapas começou a ser testada, com o intuito de frear esse uso.

Agora, de acordo com post no blog da própria empresa, a ideia é que, em vez de bloquear o compartilhamento, ele seja permitido a partir da cobrança de uma taxa extra. Dessa forma, será possível dividir a conta de forma mais segura, que, além de perfis separados, terá também usuário e senhas diferentes – o que garante mais segurança. O teste da novidade será feito, inicialmente, nas “próximas semanas” em Chile, Costa Rica e Peru.

Assistindo Netflix
Usa a senha da Netflix de alguém que não mora com você? Prepare-se: o streaming poderá cobrar por isso em breve (crédito: divulgação Netflix)

📺 Quer encontrar mais de mil sugestões de filmes para assistir na Netflix? Confira aqui!

Publicidade

“Sempre facilitamos para as pessoas que moram juntas compartilhar sua conta Netflix, com recursos como perfis separados e várias transmissões em nossos planos Padrão e Premium”, explica Chengyi Long, diretor de inovação de produto, no post. “Embora tenham sido muito populares, eles também criaram alguma confusão sobre quando e como a Netflix pode ser compartilhada. Como resultado, as contas estão sendo compartilhadas entre as famílias – impactando nossa capacidade de investir em ótimas novas TVs e filmes para nossos membros.”

O valor a mais para ter esses “membros extras” na conta varia de país a país onde a iniciativa será testada. No Chile, por exemplo, custará 2.380 pesos chilenos (R$ 15,19, na cotação atual); no Peru será 7,90 pesos peruanos (R$ 10,81); enquanto que na Costa Rica sairá por 2,99 dólares americanos (R$ 15,27). Em todos os casos, equivale a cerca de 23% da assinatura padrão.

Se a mesma lógica fosse adotada no Brasil, onde o plano padrão da plataforma está em R$ 39,90, o custo extra poderá ser algo na casa dos R$ 9.

Compartilhando a Netflix após o fim da relação

Além disso, uma outra novidade muito aguardada que foi anunciada é que, finalmente, perfis da Netflix poderão ser “desmembrados” em novas contas ou em “membros extras” dentro da nova lógica de compartilhamento de senhas.

Isso é particularmente útil em casos como uma separação ou quando alguém sai da casa dos pais, por exemplo. Até hoje, é necessário decidir quem vai continuar com a conta antiga – e quem teria que criar uma do zero, sem as informações do que foi assistido e, principalmente, a “Minha Lista” e as sugestões do algoritmo.

Agora, é simples: você saiu da casa dos seus pais? Será possível ter uma conta extra dentro da Netflix deles. Separou? Você ou seu/sua ex poderão desmembrar o perfil em uma nova assinatura.

A novidade faz parte do mesmo teste da cobrança extra – e, se der certo, deve ser adotada em outros países de forma progressiva.

Siga o Filmelier no FacebookTwitterInstagram e TikTok.