nomadland-1

‘Nomadland’ e a grande vitória no Globo de Ouro 2021

Chloé Zhao, diretora de ‘Nomadland’, se tornou a segunda mulher na história do cinema a ganhar um Globo de Ouro na categoria melhor direção – isso em uma edição marcada por outras polêmicas

1 de março de 2021 18:00
- Atualizado em 2 de março de 2021 14:13

Ontem à noite, 28, aconteceu o Globo de Ouro 2021 e ‘Nomadland’, ‘Soul’ e ‘Borat 2’ foram os maiores premiados da noite. Mas o grande destaque mesmo ficou por conta de uma conquista feminina: Cholé Zhao ganhou o prêmio de melhor direção com o já citado ‘Nomadland’.

Zhao foi a primeira mulher chinesa, e a segunda mulher em toda a história, a vencer o Globo de Ouro nessa categoria. Uma conquista que também revela que a falta de representação continua sendo um dos deméritos não só dessa, mas de diversas premiações.

Frances McDormand e Chloé Zhao nos bastidores de ‘Nomadland’ (Foto: Reprodução/Searchlight Pictures)

O Globo de Ouro tem 87 anos – e, nesse período, a outra cineasta premiada por direção foi Barbra Streisand, em 1984, por ‘Yentl’. Demorou 34 para que outra mulher novamente reconhecida nesta categoria.

Publicidade

E essa conquista não é apenas para as mulheres, mas também para o leste-asiático. Zhao foi também a segunda pessoa desta região a ganhar esse prêmio. Antes dela, apenas Ang Lee havia recebido um Globo de Ouro por direção, em 2001 por ‘Wòhǔ Cánglóng’ e, em 2006, por ‘O Segredo de Brokeback Mountain’.

A delicadeza de ‘Nomadland’

Chloé Zhao entrou para a história do cinema com um filme simples, delicado e extremamente sensível. Em ‘Nomadland’, acompanhamos uma história de perda, dor, superação e sobre as pequenas conquistas da vida – que nem de perto se assemelham a bens materiais.

O filme tem como base o livro ‘Nomadland: Surviving America in the Twenty–First Century’ escrito pela jornalista norte-americana Jessica Bruder. A trama fala sobre um grupo de pessoas conhecidas como nômades, pois vivem viajando pelos Estados Unidos em busca de trabalhos temporários.

‘Nomadland’ ganhou dois Globos de Ouro: melhor filme de drama e melhor direção (Foto: Reprodução/Searchlight Pictures)

Esse movimento se deu por conta da crise financeira no país em 2008. Na época, milhões de famílias perderam casas, assim como empregos. Devido a falta de moradia fixa, eles passaram a viver em trailers, vans e outros tipos de automóveis enquanto rodavam os Estados Unidos atrás de empregos sazonais.

Essa premissa pode parecer americana demais, mas no fundo, como foi citado acima, ‘Nomadland’ trata-se de descobertas, de entender minimante a vida, e isso é relevante a todos nós.

Chloé Zhao e o diretor de fotografia Joshua James Richard conseguiram transmitir muitos sentimentos a uma história que tem poucas falas com belíssimas imagens com longos planos – que são a maior síntese do quão superficial somos em comparação com a imensidão de coisas que existem no mundo.

Termômetro para o Oscar 2021

Claro que outro mérito é o da atriz Frances McDormand, ganhadora do Oscar duas vezes por ‘Fargo‘ (1997) e ‘Três Anúncios Para Um Crime‘ (2018). McDormand foi indicado ao Globo de Ouro ‘Nomadland’ e também é cotada para o Oscar.

A produção se destacou em festivais ao redor do mundo e tem tudo para ser uma das grandes premiadas de 2021. O longa levou o Leão de Ouro no Festival de Veneza, em 2020, e tem mais de 161 outros prêmios e indicações.

Frances McDormand é uma das apostas do Oscar 2021 por sua atuação em ‘Nomadland’ (Foto: Reprodução/Searchlight Pictures)

Além do Globo de Ouro de melhor direção em filme de drama, ‘Nomadland’ ficou com o prêmio de melhor filme de drama. Sem dúvidas, o termômetro para o Oscar só aumenta, é bem provável que esteja indicado nas categorias melhor filme, direção, atriz e roteiro.

Cholé Zhao, inclusive, entrou no radar de grandes produções de Hollywood, pois terá sua estreia no Universo da Marvel atuando na direção de ‘Os Eternos’, que deve ser lançamento em novembro deste ano.

As outras polêmicas do Globo de Ouro 2021

E neste contexto, outra grande controvérsia recente do Globo de Ouro continua sendo a a falta de jurados negros entre os 87 eleitos pela Associação da Imprensa Estrangeira em Hollywood (HFPA) para decidir os vencedores. Ainda que tenham tentado preencher essa lacuna premiando quatro artistas negros: Chadwick Boseman, Andra Day, Daniel Kaluuya e John Boyega.

Antes que a festa acontecesse, diversos artistas protestaram contra a HFPA, incluindo Viola Davis – que estava concorrendo por sua atuação em ‘A Voz Suprema do Blues’. A forma que o Globo de Ouro arrumou de se pronunciar foi através das apresentadoras do evento, Tina Fey e Amy Poehler.

“Inclusividade é importante, e não há membro negro na HFPA. Eu entendo, HFPA, que talvez vocês não tenham recebido o memorando porque vocês trabalham numa espécie de McDonalds francês, mas você tem que mudar isso”, disse Poehler.

Chadwick Boseman ficou com o prêmio póstumo de melhor ator por ‘A Voz Suprema do Blues’ (Foto: Reprodução/Netflix)

Quem também frisou da necessidade por diversidade foi a lenda Jane Fonda, uma das homenageadas da noite. A atriz recebeu o prêmio Cecil B. DeMille, que visa mostrar a importância de artistas que empenham papéis relevantes dentro da indústria cinematográfica.

“‘Minari’ me ensinou a sentir o que é humano na América, ‘I May Destroy You’ me ajudou a considerar a violência sexual sob uma ótica diferente. Os documentários mostraram como nossa democracia é frágil”, disse ela, fazendo uma clara referência a falta de indicações a série da HBO escrita e estrelada por um elenco majoritariamente negro.

E não só isso. O filme ‘Minari’ só pode concorrer na categoria de produções estrangeiras devido a uma regra da organização do Globo de Ouro. O longa fala sobre uma família de imigrantes da Coreia do Sul que vai para os Estados Unidos em busca de um vida melhor.

Logo, existem diálogos em inglês e também em coreano. Por conta disso, ‘Minari’ não pode concorrer nas categorias principais, já que mais de 50% dos seus diálogos são em outro idioma. O mesmo aconteceu com ‘Parasita’ e ‘A Despedida’ nos anos anteriores.

‘Nomadland’ ainda não tem data de lançamento Brasil, assim como ‘Minari’.

Siga o Filmelier no FacebookTwitterInstagram e TikTok.