os-amores-dela

‘Os Amores Dela’ maltrata clichês e “conta uma história muito forte de desejo”, diz diretora

Em entrevista exclusiva, a diretora e roteirista Charline Bourgeois-Tacquet revela o seu interesse pelos mecanismos do desejo – e que quer continuar fazendo personagens femininas livres de clichês

27 de julho de 2022 16:37
- Atualizado em 28 de julho de 2022 18:17

‘Os Amores Dela’, filme que está em cartaz nos cinemas brasileiros, traz uma daquelas histórias que conseguem te encantar e, ao mesmo tempo, te fazer pensar na sua própria vida. Até por isso, o longa-metragem de estreia da diretora Charline Bourgeois-Tacquet tem sido fortemente comparado com ‘A Pior Pessoa do Mundo’. Porém, apesar das similaridades, há visões e abordagens diferentes.

Em entrevista exclusiva ao Filmelier, Bourgeois-Tacquet (que também assina o roteiro) conta mais sobre as os paralelos entre a obra dela e a do diretor Joachim Trier, além de revelar de onde vieram as suas inspirações para uma história que se aproxima bastante do público.

Estrelado por Anaïs Demoustier e Valeria Bruni Tedeschi, ‘Os Amores Dela’ é uma comédia romântica francesa que vai muito além do trivial (Crédito: Divulgação/Imovision)

🎞  Quer saber as estreias do streaming e dos cinemas? Clique aqui e confira os novos filmes para assistir!

“Meu filme foi exibido em Cannes [na Semana Internacional da Crítica, uma mostra paralela ligada do festival] no ano passado, na mesma época que ‘A Pior Pessoa do Mundo’, e os jornalistas frequentemente os compararam. Isso me deixa feliz porque gosto muito desse filme e as duas heroínas são parecidas”, contou a diretora.

Publicidade

“Ambas são mulheres de trinta anos, que não sabem exatamente o que querem fazer da vida, e que vivem no presente. Anaïs e Julie também têm em comum o fato de não querer filhos, ou não ter certeza disso. Elas têm essa liberdade, a de não obedecer a todas as normas da sociedade”, completou.

Assim como Charline citou, ‘Os Amores Dela’ mostra as aventuras e desventuras de Anaïs (Anaïs Demoustier), uma moça que não sabe qual rumo tomar na vida. Ela acaba não pensando muito em suas atitudes, o que deixa a trama muito factível, pois sabemos que a realidade muitas vezes é assim.

“Mas há grandes diferenças entre os dois filmes: primeiro, ‘Os Amores Dela’ é em parte uma comédia. E o foco do meu filme é essa trama que envolve um grande desejo e amor, a história de um encontro muito inesperado e comovente entre duas mulheres, e na verdade isso foi o mais importante para mim. Antes de ser o retrato de uma mulher na casa dos 30, meu filme se interessa pelos mecanismos do desejo.”

‘Os Amores Dela’ é baseado na vida da diretora

Outro ponto importante, que também o distancia de ‘A Pior Pessoa do Mundo’ é o teor autobiográfico da narrativa. Charline Bourgeois-Tacquet conhece tão bem sua protagonista que é quase impossível não ter sido baseado em suas próprias histórias.

“Eu tive um caso com um homem casado que falou livremente comigo sobre sua esposa, e eu senti que ela e eu tínhamos muito em comum, eu queria conhecê-la. Foi isso que me deu a ideia de escrever a história desse triângulo amoroso. Eu também queria, como disse já disso, contar uma história muito forte de desejo e amor”, contou a cineasta descrevendo a trama do filme.

‘Os Amores Dela’ é baseado na vida da diretora Charline Bourgeois-Tacquet (Crédito: Divulgação/Imovision)

‘Os Amores Dela’ é uma produção feminina em todo seu escopo, protagonizado, roteirizado e dirigido por mulheres. Mas, não é só isso, a trama coloca os homens completamente em segundo plano. Eles são irrelevantes e isso ainda é raro no cinema. Charline Bourgeois-Tacquet foi ousada e brilhante em seguir esse caminho, principalmente se tratando de um primeiro longa-metragem.

“Não foi bem uma decisão, mas à medida que a escrita avançava, os homens naturalmente desapareceram da história…Porque a história entre Anaïs e Emilie era o que realmente me interessava, então deixei que ocupasse todo o espaço, e não me incomodei com certas “regras de roteiro” que poderiam ter me forçado a trazer de volta o personagem de Daniel por exemplo (companheiro de Emilie)”, explicou a cineasta.

“Assumi essa vontade de focar
na história das duas mulheres,
e também me diverti
maltratando os clichês”

“Assumi essa vontade de focar na história das duas mulheres, e também me diverti maltratando os clichês. Pela primeira vez, o casal no filme não é um homem de 55 anos com uma mulher de 30 anos, mas…uma mulher de 55 anos com uma mulher de 30 anos. Achei irônico e engraçado!”.

Com um ritmo agitado e divertido, quase um paralelo com a vida da protagonista, o filme consegue ser a cara de uma geração. No fim das contas, Anaïs está em busca de amar e ser amada, talvez por isso os outros setores de sua vida são tão fluídos.

A diretora ainda partilha de dúvidas acerca da vida e dos relacionamentos amorosos, mas sua maior certeza é a de continuar trazendo personagens femininas que não tem medo de fugir dos moldes da sociedade.

“Quanto ao amor…continuo tão perdida quanto você! Mas eu achei importante representar esta jovem que tem sede de intensidade e que segue sempre o seu desejo, sem medo e sem hesitação. Acho lindo nela”, compartilhou. “No roteiro do meu segundo filme, vou representar mulheres que vivem como bem entendem, sem esperar autorização de ninguém”, completou.

‘Os Amores Dela’ é, talvez, a versão francesa com a direção feminina de ‘A Pior Pessoa Pessoa do Mundo’, o que já a torna completamente única. Fato é que o filme é ótimo, divertido e ainda te tira da realidade, mesmo trazendo uma trama realista.

Se você se interessou por ‘Os Amores Dela’? Então clique aqui para encontrar mais informações e o link para a compra de ingressos.

Siga o Filmelier no FacebookTwitterInstagram e TikTok.