de-volta

Roteirista de ‘De Volta para o Futuro’ quer destruir versão do filme com censura

Usuários da Netflix relataram que uma versão com censura de ‘De Volta para o Futuro 2’ entrou no catálogo na plataforma nos Estados Unidos

27 de maio de 2020 10:58

Na última semana, usuários da Netflix nos Estados Unidos ficaram revoltados com o streaming. O motivo? A empresa pôs no catálogo uma versão com censura de ‘De Volta para o Futuro 2’. Nela, a capa de uma revista adulta vista pelo protagonista Marty McFly (Michael J. Fox) é escondida.

Mas, agora, o roteirista Bob Gale explica que a culpa não é da Netflix — e sim do estúdio, a Universal Pictures, que enviou a cópia errada. Além disso, ele fez um apelo, em nome do diretor Robert Zemeckis, para que a versão seja destruída. Segundo ele, nenhuma cópia censurada do filme deveria existir, apenas a versão que foi exibida no cinemas – que originalmente tem classificação indicativa PG, no qual algumas cenas não são indicadas para crianças pequenas e é necessária a orientação dos pais.

Gale é o roteirista da franquia ‘De Volta para o Futuro’ (Crédito: Divulgação/Bob Gale)

“A culpa é da Universal, que de alguma forma forneceu à Netflix uma versão editada do filme”, disse Gale em entrevista ao site The Hollywood Reporter. “Descobri isso há 10 dias com um fã com olhos de águia. O estúdio corrigiu o erro. A versão atual é a original, sem censura, sem edição.”

Publicidade

Além disso, complementa: “essa era uma versão estrangeira que nem o Zemeckis nem eu sabia que existia. Era pra algum país que teve um problema com a capa da revista ‘Oh La La’. Mas já pedi que o estúdio destrua essa versão. A Netflix não edita filmes. Apenas exibem versões que são fornecidas a eles. Você pode direcionar sua ira para a Universal.”

Por enquanto, no Brasil, a trilogia de ‘De Volta para o Futuro’ está disponível, sem cortes, nos serviço Amazon Prime Video e Telecine.