unnamed

Filme brasileiro ‘Casa de Antiguidades’ é selecionado para Cannes

Ainda que a edição física do Festival de Cannes tenha sido cancelada, a organização divulgou uma lista de 56 selecionados para o evento

Matheus Mans   |  
3 de junho de 2020 15:23
- Atualizado em 17 de junho de 2020 12:33

O Festival de Cannes de 2020 deveria ter acontecido em maio. No entanto, por conta da pandemia do novo coronavírus, o evento teve sua edição cancelada. Ainda assim, a organização do festival divulgou a sua tradicional lista de selecionados nesta quarta-feira, 3. E tem brasileiro na competição.

‘Casa de Antiguidades’, dirigido por João Paulo Miranda e protagonizado por Antônio Pitanga, recebeu o desejado “selo de aprovação” de festival. O roteiro do filme foi desenvolvido numa residência artística do Festival de Cannes e tem previsão de lançamento para este ano pela Pandora Filmes.

Antônio Pitanga estrela filme selecionado de Cannes (Crédito: Divulgação/Pandora)

Segundo Miranda, o filme fala sobre racismo e, principalmente, sobre a polarização política de 2018. Anteriormente, o cineasta já tinha sido premiado em Cannes com o curta-metragem ‘A Moça que Dançou com o Diabo’, de 2016. Na época, Miranda recebeu o prêmio especial do júri.

Publicidade

“Infelizmente não haverá o glamour do tapete vermelho. O que de fato não significam em si o que é o Cinema. O mais importante é o impacto que estes filmes darão. Esta seleção é um anúncio do Cinema de amanhā, que precisa encarar toda esta crise que vivemos.”, disse o diretor por meio de nota.

Seleção de Cannes

Neste ano atípico, o Festival de Cannes fez uma seleção total de 56 títulos. Alguns dos títulos serão exibidos em eventos de cinema que tiveram as suas edições mantidas, como é o caso de Veneza e de Toronto. No entanto, a maioria irá apenas ostentar o selo como uma forma de promoção global.

Além do filme brasileiro, também foram selecionadas as produções ‘Destacamente Blood’, de Spike Lee e exclusiva da Netflix; a animação ‘Soul’, de Pete Docter; ‘The French Dispatch’, de Wes Anderson; ‘Eté 85’, do francês François Ozon; e duas produções do premiado Steve McQueen (‘Shame’).