Smile-Caitlin-Stasey

‘Sorria’ quer te fazer enfrentar seus traumas com um sorriso (macabro) no rosto

O terror aborda problemas psicológicos e traumas como se fossem uma espécie de vírus

28 de setembro de 2022 19:12
- Atualizado em 29 de setembro de 2022 19:26

O terror é, talvez, um dos gêneros mais complicados para se reinventar. Algo que tem se comprovado nos últimos anos, afinal dá para contar nos dedos os filmes recentes que se destacam nesse gênero. Um deles é ‘Corrente do Mal‘, de 2014 – e a menção não é à toa: essa é uma das primeiras referências que vem à mente com ‘Sorria’, longa-metragem que chega aos cinemas brasileiros nesta quinta (29).

A história segue a premissa de uma maldição que é passada de pessoa para pessoa, em uma alusão para o trauma, já que todas as vítimas tiveram uma experiência chocante. A protagonista da trama é Rose Cotter, interpretada pela ótima Sosie Bacon (’13 Reasons Why’), uma psiquiatra que usa sua profissão como uma tentativa de reparar seus problemas do passado. Rose tem um relacionamento complicado com a irmã, justamente devido a um trauma familiar.

Sorria: Sosie Bacon está sendo aterrorizada por uma "entidade" em 'Sorria' (Crédito: Divulgação/Paramount Pictures)
Sosie Bacon está sendo aterrorizada por uma “entidade” em ‘Sorria’ (Crédito: Divulgação/Paramount Pictures)

🎞  Quer saber as estreias do streaming e dos cinemas? Clique aqui e confira os novos filmes para assistir!

Após presenciar a morte de uma paciente, acontecimentos bizarros passam a acompanhá-la, e são semelhantes ao descrito pela moça que se suicidou em sua frente. Tida como perturbada por todos ao seu redor, incluindo pelo próprio noivo, Rose só consegue ser levada a série por seu ex-namorado, o detetive Joel (Kyle Gallner). Juntos eles tentam investigar o que está acontecendo.

Terror psicológico sobre luto, traumas e doenças mentais

Publicidade

‘Sorria’ começa muito bem como um terror psicológico ligado a luto, superação e doenças mentais. Um dos traumas da protagonista é ter visto a mãe morrer quando era criança. Ela faz de tudo para seguir em frente, inclusive ser tornar médica para ajudar outras pessoas a enfrentar situações como a que ela passou. O diretor Parker Finn, que faz sua estreia em um longa metragem, consegue criar uma atmosfera assustadora sem apelar para o excesso de jump scares.

Entretanto, o desenvolvimento que pavimenta o caminho para o final acaba perdendo um pouco o gancho da história – que se aproxima até demais de ‘Corrente do Mal’. Rose e Joel descobrem que a “maldição” é transmitida para outra pessoa quando um suicídio é presenciado, como se fosse um vírus.

Com isso, eles querem encontrar uma forma de salvar Rose, que é mais óbvia do que o filme tenta mostrar. Nesse momento, a história encontra toda uma discussão sobre moral e egoísmo – que não vamos citar para evitar spoilers. Essa “descoberta” acaba sendo um fio condutor que poderia ser ótimo, já que estamos navegando em uma narrativa sobre traumas, mas o caminho que Finn utiliza acaba fazendo com que o terror volte a andar em círculos.

Sorria coloca traumas, doenças mentais e superação em voga, com uma atmosfera de filme de terror (Crédito: Divulgação/Paramount Pictures)
‘Sorria’ coloca traumas, doenças mentais e superação em voga, com uma atmosfera de filme de terror (Crédito: Divulgação/Paramount Pictures)

O acontecimento que Rose tenta lidar acaba tomando uma forma física e o filme perde um pouco a grandeza que tinha construindo. Uma produção que consegue fazer isso bem é ‘Relíquia Macabra‘, de Natalie Erika James, que também aborda doenças mentais, sendo hereditárias. Toda a alegoria em torno do monstro da trama é bem feita.

Em suma, Parker Finn faz um bom trabalho em seu primeiro longa-metragem, tanto tecnicamente falando, quanto acerca do que ele quer discutir. Toda a tensão que a protagonista vive, tentando descobrir se precisar de ajuda de psicológica e que só ela mesma pode se ajudar, consegue assustar mais do que qualquer jump scare.

Esse caminho onde o terror encontra situações reais ligadas a problemas mentais ou traumas que são, literalmente, apavorantes mostram como os nossos maiores pesadelos podem estar na nossa própria mente – não é preciso ir muito longe.

‘Sorria’ está em cartaz nos cinemas brasileiros e clicando aqui você encontrar informações sobre como comprar ingressos e mais detalhes do filme.

Siga o Filmelier no FacebookTwitterInstagram e TikTok.