after-we-fell

‘After: Depois do Desencontro’ se firma como franquia feita para fãs

‘After’ chega ao seu terceiro filme esquecendo o grande público e focando seu conteúdo apenas para aqueles que já amam a saga

Matheus Mans   |  
6 de setembro de 2021 18:06
- Atualizado em 7 de setembro de 2021 13:36

Quando ‘After‘ chegou aos cinemas, em 2019, havia um certo entusiasmo no ar com a novidade. Afinal, o longa-metragem era chamado fora dos círculos de fãs como um “‘Cinquenta Tons de Cinza‘ para adolescentes”, entendendo que seria um romance apimentado, mas sem extrapolar qualquer limite. A estreia, inclusive com a vinda do elenco e autora para o Brasil, fez barulho.

Eu, como jornalista, fiz a cobertura na época, com coletiva de imprensa e entrevistas. Antes disso, participei de dois diferentes eventos. Em um deles, foi feita uma exibição especial de cenas do filme para uma sala com alguns jornalistas e dezenas de fãs. Foi uma experiência bizarra: as jovens, na casa dos 14 anos, sabiam inclusive as falas de um trailer que nunca tinham visto.

Hero Fiennes Tiffin e Josephine Langford são os protagonistas da franquia (Crédito: Divulgação/Diamond)

Depois, foi realizada a cabine de imprensa — que é como chamamos as exibições para jornalistas. E a experiência foi completamente diferente. Enquanto nesse evento com as adolescentes havia um entusiasmo palpável no ar, os jornalistas exibiam um claro constrangimento enquanto assistiam ao filme. Na tela, cenas mal dirigidas, problemas de roteiro e atuações engessadas.

Publicidade

Agora, dois anos depois, chega o terceiro filme da franquia aos cinemas. ‘After: Depois do Desencontro‘ deixa algo claro na tela: não quer saber mais do público que tratava essa história como o “‘Cinquenta Tons de Cinza’ para adolescentes”. A saga do romance de Hardin (Hero Fiennes Tiffin) e Tessa (Josephine Langford) quer saber apenas dos fãs. Quer crescer com sua base.

‘After: Depois do Desencontro’ pelo olhar crítico…

Afinal, qualquer pessoa de fora (como eu!) que assiste ao novo filme, tem uma impressão clara: não existe história. Enquanto ‘After’ mostrou os dois se conhecendo e a sequência exibiu a primeira grande crise do casal, o terceiro filme foca em mostrar a relação ganhando contornos mais adultos. Por 99 minutos, vemos as idas e vindas da dupla em seu relacionamento.

A confiança do casal está abalada após os acontecimentos vistos no segundo filme. Além disso, passam por problemas familiares: ela voltou a ter algum contato com o pai, viciado em álcool e afastado da família já há alguns anos, enquanto ele está passando por instabilidades ainda mais intensas conforme o relacionamento com a mãe avança e as reviravoltas surgem.

E é isso. O longa-metragem, comandado pela diretora Castille Landon (‘Medo da Chuva‘), não tem um plot, algo que realmente mova a história. O filme fica andando em círculos, de lá pra cá. Os dois se afastam, ficam mal e, na fossa, se reaproximam. Quando voltam a se amar, surge algum outro empecilho que os afasta. Só muda de fato os motivos que os une e os afasta.

Além disso, na minha concepção como protótipo de crítico de cinema, Hero Fiennes Tiffin talvez seja um dos piores atores de sua geração em atividade. Sobrinho de Ralph, ator de Voldemort na franquia ‘Harry Potter’, ele simplesmente não tem qualquer carga dramática — algo exigido mais neste terceiro filme. Fica difícil ao lado de Josephine, irmã de Katherine Langford.

…e pelo olhar dos fãs da franquia

E bom, esse é meu olhar. Minha visão sobre uma franquia que nasceu mal e continua ruim. Agora, a base de fãs, que é grande e barulhenta, vê tudo isso de uma maneira completamente diferente. Nas redes sociais, com principal atenção ao Twitter, hashtags sobre a produção vira e mexe aparecem em destaque. Numa delas, fãs brasileiros estão mais do que entusiasmados.

Uma arroba compartilha a imagem dos ingressos que comprou para assistir ao filme nos cinemas, outra diz que vai sair das redes sociais para não pegar spoilers. São vários os tuítes que exaltam a boa atuação não só de Josephine, como a de Hero — que expressei minha opinião sobre pouco acima. Parece que eu e essas pessoas vimos filmes totalmente diferentes.

E realmente é isso que acontece. Não tenho ligação com aqueles personagens, não ligo para os atores. Ser fã de algo, ainda mais de livros que provavelmente participaram do crescimento desses adolescentes, é algo que mexe com sentimentos. Falar mal dessa saga para fãs é mais do que apenas criticar um livro ou filme: é falar sobre algo quase que pessoal.

Por fim, disse no meu Twitter pessoal que tinha ficado incrédulo que teria mais três filmes. Disse, com toda a certeza do mundo, que não tinha como. Até que uma fã me questionou se tinha lido os livros, com uma longa risada de escárnio, e deixou claro que talvez essa franquia possui novas histórias (mesmo que ruins) até se tornar um novo “‘Cinquenta Tons’ para adultos”.

‘After: Depois do Desencontro’ está em cartaz exclusivamente nos cinemas – clique aqui para saber mais, inclusive os horários das sessões.

Siga o Filmelier no FacebookTwitterInstagram e TikTok.