festival-brasilia

Festival de Brasília é cancelado por falta de recursos

Um dos mais importantes eventos de cinema do Brasil, o Festival de Brasília não recebeu os R$ 3 milhões previstos para sua realização

8 de junho de 2020 11:50
- Atualizado em 17 de junho de 2020 12:18

Um dos mais tradicionais eventos de cinema no Brasil, o Festival de Brasília teve sua 53ª edição cancelada. Anteriormente prevista para ocorrer em novembro, a mostra foi oficialmente descartada pelo secretário de Cultura e Economia Criativa (Secec), Bartolomeu Rodrigues, ao site Metrópoles.

Segundo ele, alternativas foram buscadas para realizar o evento mesmo com restrições e isolamento. Um cinema drive-in da região, por exemplo, se tornou uma possibilidade de complementar o conteúdo do festival junto com alguma plataforma de streaming — assim como o BIFF fez em 2020.

Festival de Brasília é o evento cultural mais importante do Distrito Federal (Crédito: Divulgação/Festival de Brasília)

No entanto, Bartolomeu disse que o recurso de R$ 3 milhões previsto no orçamento da secretaria não estará disponível, por conta da crise econômica decorrente da pandemia do novo coronavírus. Com isso, fica inviável até mesmo a realização de alternativas como essas levantadas.

Publicidade

“Não quero dar um passo em falso, como estamos sem recurso, vamos cancelar”, afirmou o secretário em entrevista ao site brasiliense. Depois, questionado se a decisão pode ser revertida, Bartolomeu Rodrigues disse: “Somente se surgir o recurso, mas, na atual situação, acho muito difícil”.

História do Festival de Brasília

Considerado o evento de teor mais político e contestatório dentre a agenda de cinema do Brasil, o Festival de Brasília só teve três edições canceladas durante seus mais de 50 anos de história. Todas elas durante os anos 1970, durante a Ditadura Militar, por diversos entraves políticos e burocráticos.

Cineastas consultados pelo Metrópoles indicaram que vão tentar reverter a situação. “Essa conversa fiada de que não tem dinheiro ouvimos todo ano. Se houver vontade política dá para fazer”, diz o cineasta Iberê Carvalho, de ‘O Último Cine Drive In’. “Se eles não fizerem, a gente faz [o festival]”.