wonder-woman-1984

DC Studios cancela ‘Mulher-Maravilha 3’: O que isso significa para o futuro do estúdio?

A decisão de cancelar ‘Mulher-Maravilha 3’ foi comunicada à diretora Patty Jenkins pelos novos presidentes da DC Studios, James Gunn e Peter Safran

Lalo Ortega   |  
8 de dezembro de 2022 14:30

Mudanças importantes estão chegando na DC Studios, a recém-criada divisão criativa de projetos de cinema, televisão e animação baseada na DC Comics, substituindo a DC Films. E com as mudanças vêm as baixas, a primeira das quais é ‘Mulher-Maravilha 3’.

O filme, que teria o retorno da diretora Patty Jenkins e estrela de Gal Gadot, estava em desenvolvimento ativo desde o final de 2020. No entanto, de acordo com fontes do The Hollywood Reporter (THR), o projeto foi oficialmente cancelado e “é considerado morto em seu estado atual”.

De acordo com a fonte, Jenkins apresentou recentemente seu tratamento do roteiro – escrito com Geoff Johns, que trabalhou como produtor ou escritor em vários projetos de cinema e televisão da DC. No entanto, James Gunn e Peter Safran (novos presidentes da DC Studios), bem como os presidentes da Warner Bros. Pictures, Michael De Luca e Pamela Abdy, informaram que seu projeto não se encaixava em seus planos para a franquia.

Até agora, nenhuma outra decisão foi tomada sobre os próximos passos da nova visão da Mulher-Maravilha na DC Studios. É improvável que Patty Jenkins volte como diretora, e o futuro de Gal Gadot no papel ainda está incerto (estranhamente, a atriz postou um agradecimento nas redes sociais há alguns dias, antecipando seu próximo projeto como a heroína).

O primeiro filme da Mulher-Maravilha arrecadou mais de US$ 800 milhões nas bilheterias mundiais (Crédito: Warner Bros. Pictures)

O que o cancelamento de ‘Mulher-Maravilha 3’ significa para os filmes da DC Studios?

Publicidade

É normal que grandes estúdios com mudanças de gerenciamento sejam acompanhadas por uma “folha limpa” na seção criativa. Este parece ser o caso após a nomeação de James Gunn e Peter Safran como chefes da DC Studios, divisão que vai centralizar não só os projetos cinematográficos da franquia, mas também os projetos televisivos e de animação.

Como relata o THR, Gunn e Safran estão programados para se encontrar com o presidente da Warner Bros. Discovery, David Zaslav, na próxima semana, para apresentar seu plano para o DC Cinematic Universe.

Zaslav foi sincero sobre sua ideia de seguir o projeto que a Marvel empregou nos últimos 15 anos, de criar um universo de histórias coesas e interconectadas. Sob a gestão do antecessor de Gunn e Safran, Walter Hamada, a DC Films gerou o fracassado “Snyderverse” e uma ampla gama de filmes que seguiram em diferentes direções criativas, muitas vezes sem conexão, com vários graus de sucesso de bilheteria.

A visão de Zack Snyder teve influência direta no restante da franquia (Crédito: Warner Bros. Pictures)

Com esse pano de fundo, nos faz pensar que o cancelamento de ‘Mulher-Maravilha 3’ é, de fato, uma verdadeira ficha limpa para a franquia. A atual encarnação do Universo Estendido DC (DCEU), como é conhecido, foi em grande parte produto da visão de Zack Snyder, que dirigiu ‘O Homem de Aço‘ em 2013 com Henry Cavill e definiu quem seriam os rostos de sua franquia (Gal Gadot, Ben Affleck, Jason Momoa e Ezra Miller) com sua sequência, ‘Batman v Superman‘.

No entanto, o fracasso do referido filme perante a crítica e nas bilheterias colocou em xeque sua visão para o futuro da saga, o chamado “Snyderverse”. O problema foi agravado por sua saída da ‘Liga da Justiça‘ de 2017 por questões pessoais. Apesar disso, suas decisões foram decisivas para a franquia como um todo: Gadot, Momoa e Miller protagonizaram seus projetos solo e, ainda em 2022, ‘Adão Negro’ trouxe o Superman de volta na pele de Henry Cavill. Filmes como ‘Shazam!’ aludem à mesma encarnação de Clark Kent, e há rumores de que ‘Flash’ tenha participações especiais de vários desses heróis.

O cancelamento de ‘Mulher-Maravilha 3’ pode significar o fim definitivo do Snyderverso, que teve um breve retorno com a estreia de ‘Liga da Justiça de Zack Snyder‘ em 2021, e que teria seus últimos suspiros com ‘Flash’ e ‘Aquaman 2’, no meio e no fim de 2023, respectivamente. O primeiro, no entanto, foi atormentado pelas controvérsias pessoais de seu protagonista, Ezra Miller. A segunda foi indiretamente afetada pelos problemas de uma de suas atrizes, Amber Heard.

A sequência de ‘Adão Negro‘, por sua vez, tem sido questionada por projeções que estimam um prejuízo de US$ 100 milhões para a Warner pelo filme que, apesar da boa resposta do público, teve custos de produção e publicidade altíssimos. Já que a participação especial de Cavill no filme foi o hype para anunciar seu retorno como Superman, seu futuro com o personagem é mais uma vez incerto.

Cena pós-créditos de ‘Adão Negro’ traz Henry Cavill de volta como Superman (Crédito: Warner Bros. Pictures)

Isso significa que tudo o que veio antes será “eliminado”? Não necessariamente. Para começar, parece que os projetos mais “independentes” baseados na DC Comics estão seguros. Até agora, supõe-se que as sequências de ‘Batman‘ com Robert Pattinson e ‘Coringa‘ com Joaquin Phoenix ainda estejam em andamento, pelo menos até novo aviso. Ambos os filmes existem com narrativas separadas para o resto do DCEU, sem mencionar seu considerável sucesso de crítica e bilheteria.

Além disso, embora o cancelamento de ‘Mulher-Maravilha 3’ seja uma redefinição radical para a franquia, Gunn e Safran poderiam seguir um caminho mais comedido. Já existe um precedente para isso na versão de ‘O Esquadrão Suicida‘, que a dupla dirigiu e produziu em 2021.

Em suma, o filme é um “reboot suave”: pega os elementos que funcionaram na versão fracassada de 2016 (particularmente os personagens de Margot Robbie, Viola Davis e Joel Kinnaman) e os insere em uma história que não faz referência aos eventos passados, mas também não os cancela.

Desta forma, e embora pareça muito improvável, não seria razoável para Gunn e Safran optar por resgatar o que funcionou do DCEU. Cavill como Superman, Gadot como Mulher-Maravilha e Momoa como Aquaman foram, afinal, alguns dos mais bem recebidos na iteração atual da franquia. Livrar-se deles – e de seu ainda considerável “poder estelar”, principalmente entre os fãs leais do persistente Snyderverse – pode ser um tiro no pé.

Mas nada está escrito em pedra, e muito depende do encontro que Gunn e Safran terão com Zaslav. ‘Mulher-Maravilha 3’ não acontecerá mais, mas não vamos descartar (pelo menos ainda não) ver Gal Gadot retornar ao papel.

Siga o Filmelier no FacebookTwitterInstagram e TikTok.