brad-pitt-ad-astra

Muito além de um rostinho bonito: conheça a carreira de Brad Pitt

O ator já participou de mais de 80 produções, mostrando sua versatilidade para os mais diversos papéis

8 de agosto de 2022 17:46
- Atualizado em 10 de agosto de 2022 14:48

Um dos atores mais populares do mundo é o Brad Pitt. Ele foi de galã para ator dramático, de ação, cômico e, novamente, voltou ao posto de galã e o ciclo se reiniciou. Podemos considerá-lo um camaleão de Hollywood? Em 2022, Pitt mostrou sua versatilidade com ‘Cidade Perdida’ e ‘Trem- Bala’ – no entanto, o currículo do ator conta com mais de 80 produções.

Antes de se tornar um nome consagrado, ele era apenas William Bradley Pitt, filho de um ex-presidente de uma empresa de transporte rodoviário e de uma secretária. Ele e seus dois irmãos, Douglas e Julie, cresceram em Springfield, Missouri, em uma família conservadora, devota da Convenção Batista do Sul.

Um fato curioso é que o ator é uma mistura de diversas etnias, com ascendência de ingleses, cherokees, seminoles (grupos indígenas da América do Norte), escoceses, irlandeses, alemães e mais. Está explicado de onde vem tanta beleza: da miscigenação.

Brad Pitt é o protagonista de 'Trem-Bala', filme de ação baseado em uma graphic novel.
Brad Pitt é o protagonista de ‘Trem-Bala’, filme de ação baseado em uma graphic novel (Crédito: Divulgação/Sony Pictures)

🎞  Quer saber as estreias do streaming e dos cinemas? Clique aqui e confira os novos filmes para assistir!

Apenas um garoto do Missouri

Publicidade

Caso Brad Pitt não seguisse a carreira de ator, ele bem que poderia ter sido atleta, pois fazia parte do time de natação, tênis e golfe na escola. Ou, ainda, poderia ter sido político, pois também era do clube de oradores e debates. No entanto, sabemos que Brad estava destinado ao estrelato.

Ele se especializou em jornalismo e publicidade na Universidade do Missouri, mas assim que se formou mudou-se para Los Angeles porque era apaixonado por cinema. Nos anos 1980, Brad Pitt estudou teatro e para se manter fez todo tipo de trabalho, de motorista até mascote de redes de restaurantes. Você está pronto para embarcar na extensa filmografia dele? Alerta de spoiler: é bem longa!

A carreira de ator começou em 1987, começando por diversas pontas em filmes, séries e novelas – como ‘Atraídos pelo Perigo’, ‘Abaixo de Zero’, ‘Tudo em Família’, ‘Dallas’ e ‘Anjos da Lei’. O primeiro papel principal veio em 1988 no longa ‘O Príncipe das Sombras’ (‘The Dark Side of the Sun’).

'Thelma & Louise' foi um dos primeiros trabalhos de sucesso da carreira de Brad Pitt
Brad Pitt em ‘Thelma & Louise’, um de seus primeiros trabalhos de sucesso (Crédito: Divulgação/MGM)

Na trama, ele interpreta um homem com uma rara doença de pele que não permite que ele se exponha à luz. Praticamente um vampiro. Bom, o longa, que era uma co-produção de Estados Unidos, Canadá e Iugoslávia, só foi lançado em 1997 devido à Guerra de Independência da Croácia.

Apesar do infortúnio, Brad Pitt continuou sua jornada por Hollywood aos poucos e, em 1989, teve aparições de destaque nos filmes ‘Assassinato no Colégio’ e ‘Namorados por Acaso’. Voltando à TV, ele participou de ‘A Hora do Pesadelo: O Terror de Freddy Krueger’, ‘Thirtysomething’ e novamente de ‘Tudo em Família’.

Após muitas outras séries e filmes para televisão, com destaque para ‘Dias de Violência’, em que ele estrela ao lado de Juliette Lewis, o trabalho divisor de águas veio em 1991. Após ‘Thelma & Louise’, de Ridley Scott, a vida de Brad Pitt nunca mais foi a mesma.

De ‘Thelma & Louise’ para o imaginário coletivo

Em ‘Thelma & Louise’, o ator tem um envolvimento com Thelma (Geena Davis) e foi graças a uma cena deles juntos que ele se tornou um símbolo sexual (algo que perdura até hoje, tem três décadas).

A década de 1990 foi muito importante para a carreira dele, estrelando ‘Johnny Suede’ (1991), ‘Mundo Proibido’ (1992), uma animação com live-action que foi um fracasso de bilheteria e ‘Nada É Para Sempre’ (1992), dirigido por Robert Redford. O último foi quando começaram a notar que era mais que apenas um rostinho bonito.

Em 1994, as coisas só melhoraram para o rapaz do Missouri, ele protagonizou ‘Entrevista com o Vampiro’, ao lado de Tom Cruise, Kirsten Dunst, Christian Slater e Antonio Banderas. Baseado no livro homônimo da escritora Anne Rice, o filme não foi tão bem recebido pela crítica, mas é praticamente um clássico nos dias atuais.

No mesmo ano, ele fez ‘Lendas da Paixão’, um épico ganhador do Oscar de Melhor Fotografia do diretor Edward Zwick. Brad Pitt consegue brilhar ao lado de Anthony Hopkins e se destacar. Ele foi indicado ao Globo de Ouro na categoria Melhor Ator em Filme Dramático em 1995.

No ano seguinte veio ‘Se7en: Os Sete Crimes Capitais’, de David Fincher. Suspense sucesso de bilheteria com Morgan Freeman, Gwyneth Paltrow e Kevin Spacey. Com o trabalho bem-sucedido, Brad Pitt estrelou também ‘Os Doze Macacos’, onde ele vai mostrando que é um ator bastante versátil, recebendo sua primeira indicação Oscar e o Globo de Ouro de Melhor Ator Coadjuvante.

Morgan Freeman e Brad Pitt em 'Seven', filme de David Fincher.
Morgan Freeman e Brad Pitt em ‘Seven’, filme de David Fincher (Créditos: Divulgação/New Line Cinema)

Ao longo dos anos 1990, ele se destacou também em ‘Sete Anos no Tibet’ (1997); ‘Encontro Marcado’ (1998), voltando a atuar com Anthony Hopkins; e ‘Clube da Luta’ (1999), adaptação cinematográfica do livro homônimo de Chuck Palahniuk, dirigido por David Fincher. O filme foi muito elogiado na época em que foi lançado e hoje tem o status de cult.

No começo de 2000, ele fez ‘Snatch: Porcos e Diamantes’ (2001); ‘A Mexicana’ (2001); ‘Jogo de Espiões’ (2002), trabalhando de novo com Robert Redford; e ‘Onze Homens e um Segredo’ (2022), refilmagem do filme de 1960 que deu início a uma franquia com outras duas continuações, ‘Doze Homens e Outro Segredo’ (2004) e ‘Treze Homens e um Novo Segredo’ (2007).

Muito mais que um rostinho bonito

Nessa mesma época, Brad Pitt agraciou os fãs de ‘Friends’ ao aparecer em um episódio da série. Ele era casado com Jennifer Aniston quando fez a participação na série na qual ela era a estrela. Ele foi indicado ao Emmy de Melhor Ator Convidado em Série de Comédia.

O ator, de fato, tem um lado cômico que demorou para ser explorado. Em 2002, ele participou de dois episódios de ‘Jackass’. No primeiro, correu pelas ruas de Los Angeles disfarçado de gorila. No segundo episódio, encenou seu próprio sequestro.

'Clube da Luta' ganhou um status cult e é um dos mais importantes do David Fincher.
‘Clube da Luta’ ganhou um status cult e é um dos mais importantes do David Fincher (Créditos: Divulgação/20th Century Fox)

Outros sucessos da carreira dele foram ‘Tróia’ (2004), onde novamente Brad Pitt aparece exibindo seu físico como o herói grego Aquiles. No ano seguinte, ao lado da sua futura esposa Angelina Jolie, ele fez ‘Sr. e Sra. Smith’ – a química entre dois foi um dos elogios ao filme, sendo a sétima maior bilheteria de 2005.

Em ‘Babel’ (2006), de Alejandro González Iñárritu e co-estrelado por Cate Blanchett, Pitt foi novamente elogiado por sua atuação dramática. O longa recebeu sete indicações ao Oscar e ao Globo de Ouro, ganhando neste último a categoria de Melhor Drama e o ator foi indicado para Melhor Ator Coadjuvante.

Ainda em 2006, a empresa dele, Plan B Entertainment, produziu ‘Os Infiltrados’, refilmagem de ‘Conflitos Internos’ feita por Martin Scorsese. A produção ganhou o Oscar de Melhor Filme – Pitt aparece nos créditos como produtor, mas quem ficou elegível ao prêmio foi Graham King.

Brad Pitt passa a ser notado pela Academia

‘O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford’ (2007), que rendeu o prêmio de melhor ator no Festival de Veneza; ‘Queime Depois de Ler’ (2008), sua primeira colaboração com os irmãos Coen; e ‘O Curioso Caso de Benjamin Button’ (2008), que marca sua terceira colaboração com David Fincher, foram outros trabalhos de destaque da carreira de Brad Pitt que vieram na sequência.

Por ‘Benjamin Button’, Pitt recebeu sua quarta indicação aos Globos de Ouro e a segunda ao Oscar, todas na categoria de Melhor Ator. O filme teve treze indicações ao prêmio da Academia, e levou nas categorias técnicas de maquiagem, direção de arte e efeitos visuais, além de fazer uma boa bilheteria no mundo todo.

Com Sean Penn e Jessica Chastain, Pitt estrelou o drama ganhador da Palma de Ouro no Festival de Cannes, ‘A Árvore da Vida’ (2011), de Terrence Malick. Por ‘O Homem Que Mudou o Jogo’ (2011), teve sua terceira indicação ao Oscar de Melhor Ator. Em paralelo a tudo isso, o ator emprestou sua voz para as animações ‘Megamente’ (2000) e ‘Happy Feet 2: O Pinguim’ (2011).

Em 2013, estrelou e produziu o maior sucesso comercial de sua carreira, ‘Guerra Mundial Z’. Ninguém resistiu a um filme de zumbis com Brad Pitt. No mesmo ano, o ator foi produtor e fez uma pequena participação atuando em ’12 Anos de Escravidão’, longa vencedor de três prêmios no Oscar 2014, incluindo Melhor Filme. Dessa vez, levou a estatueta por ter produzido o filme.

Brad Pitt ganhou seu primeiro Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por ‘Era Uma Vez em Hollywood’ (Crédito: Divulgação/Sony Pictures)

Outras produções que valem citar são ‘Corações de Ferro’ (2014), de David Ayer; ‘À Beira Mar’ (2015), dirigido e estrelado por sua esposa na época, Angelina Jolie; e ‘A Grande Aposta’, em que recebeu sua terceira nomeação ao Oscar como produtor; ‘Aliados’ (2016), de Robert Zemeckis; e a comédia ‘War Machine’, da Netflix.

O Oscar demorou, mas veio aí!

E chegamos a 2019, ano que o consagrou. Brad Pitt protagonizou o sci-fi, ‘Ad Astra: Rumo às Estrelas’, de James Gray e ‘Era uma Vez em… Hollywood’, de Quentin Tarantino. No filme, ele divide a tela com Leonardo DiCaprio e interpreta um dublê. Pitt foi elogiadíssimo por sua atuação, levando seu primeiro Oscar de Melhor Ator Coadjuvante, além do BAFTA, Critics’ Choice, Screen Actors Guild e segundo Globo de Ouro, na categoria de atuação.

Uma característica que passou a ficar mais presente na carreira de Brad Pitt é que ele passou a filtrar mais seus trabalhos ao longo dos anos. Tanto que em 2020 e 2021 focou apenas em poucos projetos, atuando como produtor.

Até que em 2022 voltamos a ver seu belo rosto em ‘Cidade Perdida’ e ‘Trem-Bala’, filmes que já citamos. Para o futuro, ele está confirmado no próximo longa de Damien Chazelle, ‘Babylon’, e em uma produção misteriosa que está sendo chamada de ‘Untitled George Clooney/Brad Pitt/Jon Watts Project’.

Depois dessa jornada, já estamos intrigados pelos próximos passos de Brad Pitt.

Quer assistir aos melhores filmes do Brad Pitt? Não se preocupe: fizemos essa seleção para você, incluindo onde assistir. Clique aqui e confira.

Siga o Filmelier no FacebookTwitterInstagram e TikTok.